Buscar
  • Dáfne Pasquarelli Freitas

Experiência Literária - Trilha sonora Capítulo 5


E finalmente chegamos a um capítulo mais "tenso" do livro... \o/

Confesso que esse capítulo me deixou muito na dúvida se deveria ter sido escrito ou não, mas por fim decidi escrevê-lo. Ele, apesar de não parecer, é muito importante.

Alguns parceiros me acharam maligna pelo que aprontei com os personagens, mas era necessário que eles passassem por isso. Afinal, tinham uma grande missão pela frente. Mas vamos ao que interessa?

Admito que não teve uma música especial para que eu escrevesse essa cena que escolhi, mas depois de ouvir essa música eu achei que ela cai perfeitamente bem e consigo ver a cena (literalmente) quando a ouço.

Então vamos lá... Abram os livros no capítulo 5, página 135. A cena que eu quero começa em "Mais uma vez surgia o monstro." E agora a pergunta: Como falar disso sem dar spoiler? hahahaha

Tá bem difícil, viu? Mas vou conseguir. Agora, se você não leu o livro, talvez seja melhor parar por aqui. #ficadica

O Héricles, o Nova e a Zira decidiram que as três moças deviam passar pela experiência antes de voltar ao palácio. Principalmente porque, até então, talvez elas nem tivessem se dado conta do que poderiam enfrentar caso algo desse errado. A segurança deas estaria em riso se elas não soubessem lidar com isso, e a deles também. Tudo estaria perdido se alguma delas entregasse o jogo nas circunstâncias mais extremas. E não era algo que poderiam contornar se acontecesse. Eles só teriam uma chance.

Por isso, essa parte bem controversa do treinamento foi dada de maneira tão eficiente. Elas não imaginavam que Héricles, Nova e Zira pudessem agir como agiram, e nem que poderiam sequer ter um resquício qualquer de medo deles. Mas estavam completamente enganadas, e Héricles conseguiu mostrar isso lindamente dentro de um ringue de luta bedariana.

Ele, apesar de ser sempre um lord, um exemplo de honra e postura profissional, recorreu aos reconcavos mais obscuros de sua mente para libertar o monstro que mostrou naquele momento. Imagine o medo que elas sentiram? Até então elas acreditavam que conheciam perfeitamente os três, mas quando deram de cara com esse lado sombrio deles, as três moças repensaram toda a sua existência até aquele momento. O jogo mental foi muito bem feito com elas, e as três conseguiram sentir o peso daquela aura maligna que era palpável dentro daquele ringue. E o capitão... Ele não era aquele monstro, apenas vestiu aquela pele temporariamente. Mas isso o afetou de tal forma que seu próprio corpo rejeitou aquela energia. Héricles termina a cena tão esgotado quanto as garotas, e talvez até tão assustado quanto elas. Nem ele sabia que poderia executar tão perfeitamente o papel que lhe foi imposto.

Com isso em mente, cliquem aqui e ouçam Psycho, do Muse. É um som pesado e tem uma pegada que, para mim, lembra muito a pressão psicológica que elas sofrem durante as horas no ringue. Eu gosto muito de imaginar como se a câmera estivesse dentro do ringue, onde não se pode ver nada ao redor. Imagino uns closes muito medonhos nas feições do Héricles, onde podemos sentir o mesmo medo que elas sentem.

Dica: esperem passar a fala do cara. No início da música tem uma fala, deixa passar e assim que a música começar de verdade, aí sim, comece a ler.

Se vocês lerem na mesma velocidade que eu, a música encerra quando o Beto sugere ao Héricles que lave o rosto no vestiário. Percebam que a música tem um trecho quase silencioso, que é quando a Zira aplica o alucinógeno, e começa a ficar mais pesada quando o Héricles começa a sua contagem. Quando a Carol imagina o rato em sua barriga, a música fica em silêncio, apenas é possível ouvir uns pequenos ruídos (parecem as patas do rato!), e quando ela se debate, a música aumenta e fica bem pesada...

E então? Gostaram? =D

Deixem seus comentários! ;)

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

SIGA-ME

  • Instagram Social Icon
  • Facebook Classic
  • Twitter Classic